lundi 27 mars 2017

Brilhantes - Grüβ Gott - Alberto Velho Nogueira, 2003 - Primeira peça de "teatro" da decalogia presente no livro

FORA DE TI, metida nele com os aparelhos próprios para o exíguo, nos aparelhos do exíguo, dentro deles, és aparelho do exíguo, prótese caseira, aspirador vassoura chávena máquina de lavar roupa, recebes ordens, irritas os dedos os olhos que te formam aparelho exíguo, propões-te o cruel, torces-te, torcida desviada para a janela durante a recepção ao H, dói-te o pescoço, endurecido pelas operações com os aparelhos, com os não aparelhos, és aparelho nas divisões onde te instalam, prótese, esforço contínuo, social instala-te para receberes o político H, limpas, és o limpo obrigada ao limpo, limpas desde a porta, projectas a voz sem sons, insonora, existes sem fala, vais da porta ao jardim à piscina à cadeira, aparelhos têm defeitos, defeito no uso deles, defeitos do teu uso, defeitos do uso do político H, votaram nele, homens votaram filhas idem, hesitaste, não votaste não pertences ao H, pertences ao jardim à cadeira, tudo feito para receber o H, alguém no exíguo, tu, de fora vêem o que vestes, não só te marca o que vestes, o que olhas, o que não dizes para os que te frequentam, Gartenstadt ilumina-te, arranjas-te para os que te exprimem que não és tu, tens defeito na língua na vibração das extremidades, excesso de vibração causa gaguez, não ouves fora da monotonia o que não inventas, não falas não representas, não te representas, não escolhes ninguém que te imite, a imitada és tu dentro, representas-te sem voz, roupa exibe-te junto do wc do lavabo, área da água, quantas entradas de água, és mais do que o que despes, tubos da canalização saem de ti, sai-te a fala por erro, ninguém te ouve, implicas-te por defeito, antepassados encontram-te sem memória sem método, sem energia quando te pedem energia, afirmação contínua quando um masculino te enfia a borracha que estica, olhos vêem-te a borracha, feminino de borracha, esticam-na, não lhe deitas fogo, nenhum sacrifício, não dizes, ideias subtraem-se aos antepassados, imitas os mais próximos, conhecimento implica seguimento social, genitores marcaram o que há de vir, genitor diz que envelheces, que fornica com outra, foi-te pedida a multiplicação, multiplicas-te, ajudam-te, não tens a multiplicação em ti, nisso só os homens e a técnica deles, são técnica, mulheres ficam de fora a não ser que sirvas, se servires de regime económico, se servires o social, se fores sociável ajudas os que te aproveitam, exploras as que vieram de ti, natureza produz, és parte da natureza, natureza-morta produz explorados, as fotos na gaveta, viste trabalhar as que nasceram de ti, vieram com a electrónica, vens do proletariado da electrónica, condição existe existiu, funde-se no exíguo no jardim na piscina na cadeira do Ehemann, desaparece-te uma condição cria-se outra, formas condições para a visita do político H, és mulher se olhas para a formação dos órgãos, a temperatura deles, submetes-te, espalhas a experiência às que te visitam, silhuetas mostram-te onde te metes na Gartenstadt, o que cresce pertence ao social, silhueta impõe-se-te conforme o que não fazes, turistas viajam sem ti, grupo da Gartenstadt viaja sem ti, de ti as fotos o recinto o lugar que forneces, palavra administrativa marca-te o lugar onde te forneces, tens fases duração pertinência, ocupas-te, ocupas uma região, sais dela para o Ehemann, esquecem-te suportam-te quieta, se não tens acção para que serves para que serves, Gartenstadt propõe acções aos habitantes, aos membros, habitas a Gartenstadt num exíguo, ligada à arquitectura que propuseram aos habitantes durante um século, prolongas a ocupação, confessas-te aos que te olham, controlas os objectos, obediente, ocupas a Gartenstadt para a limpeza da piscina, da relva, Ehemann corta-te, lixo seleccionado por matérias, consciente da piscina, do que não comes do que respiras, ecológica, genitor ecológico das tuas filhas convida o político H para o exíguo i>dele, não teu, caçadores atiradores desportistas têm armas, ex-militares reúnem-se, social desenvolve categorias, tu uma delas, o social intenso: olhar para a piscina seguir o que te propõem fazer, saíres da Gartenstadt separares-te do Ehemann que recebe o político H, ligares-te a outros objectos, profissões endurecem-te engordam-te articulam-te os movimentos, abatem os que não pertencem à Gartenstadt, os que não reivindicam terreno bandeira piscina jardim vizinhos, separam-se dos de fora, social põe fora/põe dentro, garante o dentro aos de dentro, ocupam o que está dentro, participam dos intestinos da cabeça das coagulações dos cortes fantasmas, para que te serve um cérebro, tens guias na cabeça, não és guia espiritual, guias úteis garantem a continuidade da Gartenstadt, do jardim cultivado, dos próprios guias, das flores, do Ersatz de relva, insultas-te no quarto no jardim na piscina, sais do urbano, és controlada no hospital onde ouviste Gaëtan! Au secours! Gaëtan, qu’est-ce que tu as? Gaëtan! Au secours! Mais enfin! acabou-se, principiaste o nascimento, adquiriste o ambiente, foste vista, adquiriste o estatuto da cidade, o urbano dentro, há só urbano, jardins depósitos de flores plantas, Ehemann corta a relva que cresce, crescem os Ersätze, cães ajudam a segurança, ninguém te perde, não te perdes, não te esquecem, foste numerada, pertences aos que te guiam, um só que te entra pelos buracos, tens buracos, nasceste com eles, encontras os que procuras sem usares da língua que elas/eles tiveram antes do que te marcou, os marcou, alguém falou, alguém espera que a memória venha, (teus) genitores pertenceram ao ridículo, percorreram ruas praças serviços públicos com a ideia de castigo, fundiram-se nos carris dos eléctricos, dos combóios, não cresceram com os carris, diminuíram, Ehemann fora disto, dizes disseste-me quando se evaporou a memória dos que se desfizeram nos carris, em ti uma parte estragada, estrago social implica memória do que se numerou, memória selecciona, a da contagem desapareceu, formou-se distância entre os que habitam, o nervoso nas unhas, róis as unhas para seres, habitas o que foi, o que pertenceu a alguém, ocupas, estás no lugar dos mortos, já morta, tu já morta, imitação da Mutter na cama, lugar para a morte, és parte do que se perdeu, pertence-te parte da memória, pertences às ruas, colas-te às montras, vidros partidos, atacaram as montras, fecham-nas com grades depois das 18h, cidade organiza a segurança, Gartenstadt organizada, cumprida, cumpres a tua parte onde te despes, sexual demonstra-se, importa despires-te, obedeces ao que a memória te diz, a que resta está ligada à tarefa da Mutter, és igual a ela, cópia, a Mutter no museu, documentos demonstram, não vives dos documentos, habitas com os objectos que compras, decoração, objectoscompras, voluntários propõem agressões, vidros partidos, jogo não fica pelo quebrar dos vidros, abrem os sacos do lixo, trazes sacos dos supermercados, centros religiosos onde te compensas das faltas, religião dá fundamento à região sem memória, explica o motor que leva cada um ao grupo, à massa sob bandeira, à administração da língua, somos galinhas azeitonas queijos fronhas gelados cigarros ferros agulhas tesouras informática, objectos servem o doloroso, o mais agitado, agitas-te, és personagem da Gartenstadt, obedeces ao maquinismo, cigarro marca-te absorta, não tens relação entre os objectos e o que despes, aceitas a piscina ocupada pelos amigos do Ehemann, político H usa dos pulmões, copias os que trazem objectos dos supermercados, objectos não se opõem, opões-te tu a eles por teres língua insonora, a vontade não está, disse alguém do exterior, não estás para isto, falam por ti, vontade serve para a profissão, não queres trabalhar com o director, inquéritos deduzem qual o ritmo dos funcionários no hall onde concentram trabalho ideológico, propaganda no hospital na creche, idades confundem-se, intimidade confunde-se, relações íntimas com os que trabalham nos recintos apropriados, pertencem ao regional, ao grupo no Lunapark, ao jardim da Gartenstadt, cultivam a zona de cultivo urbana, o rural nas doenças dos animais, animais comem-se segundo as temperaturas, os recipientes de plástico, os horários, quem discute do social, discute-se o avanço dos materiais, as tragédias naturais, as inevitáveis, miséria vem de fora da Europa do H, grupos formam-se na Europa, programam o que comem, distracção ajuda a manutenção contra o que se constitui fora, votam no social que constrói supermercados, brinquedos, os melhores compradores são os mais novos, hábito electrónico, genitores não conhecem a electrónica, genitores cadáveres presentes, visíveis, genitores usam a língua que lhes forneceram, eliminados pela língua recente, nunca fora da língua que os elimina, não progridem fora do emprego, assistem ao que os novos fazem nas ruas, das ruas, manifestam contra a memória, conhecem a que ficou, restos compõem o melhor do social, o melhor dos regimes seleccionado pelos habitantes, os melhores à vista argumentam, classificam-se segundo os desportos, experimentam esforço físico, experimentam o físico, constituídos pela subjectividade física, pelo instinto físico, uso publicitário do físico, têm opiniões, são agentes do H, das centrais onde perdem o gosto, ganham outros, adequados às temperaturas que os excitam até os levarem às manifestações, o que ouvi será multiplicado, genitores olham das janelas como os novos tratam dos que se intrometem no social, se apoderam do que é nosso, a memória junto da piscina, filhas colaboram, os objectos acumulados à entrada do exíguo, objectos fazem dos produtores os produzidos, fabricam o que me deita na cama, delírio nas boîtes, danço por haver social que me organiza nas boîtes, grupos têm patins bicicletas esquis colchões armas de guerra playstations carros para crianças, administram os nascimentos, a fecundidade social a fecundidade social, o que lhes é fecundo conforme o social, fecundidade conforma-se ao social, sou fecunda, ilustração do que sou, válida, social válido reproduz-se, fecunda, considerada quando inchada, cara volta à infância, infância dentro e fora, criança inchada com criança dentro, outras têm múltiplos, inseminação artificial provoca multiplicação, exibo o inchaço, a protecção social, serviços impedem que me chutem na barriga, os que me frequentam fazem parte da polícia local, futuros pais, motores fabricantes, genitores assistentes do que se desenvolve nos olhos, são vários, vão de lugar a lugar, outros fixam-se nos terrenos próprios para os nascimentos, parados com os nascimentos de que são motores, social dá-lhes outros motores, rapidez das comunicações, resultado exigente, proeza dos que manifestam na rua, genitores garantem contacto entre as ruas onde habitam e a política do H, agentes reproduzem-se nos clubes, têm função política a descoberto, outros trabalham para o que os protege, directores assumem, outros correm às administrações para darem o que lhes pedem, mulheres reproduzem o que investiram nos seres, quantidades reproduzidas aplicam-se, onde estás, ouve o telefone, preparada para a comunicação, reprodutoras criam o urbano com vestidos filhas produtos para a pele, mulheres não se esquivam, alguém discreto facilita-lhes as actividades, têm trabalho, genitores directores alimentam-se nos restaurantes, seguem os tiques das receitas, triunfam com o que comem, adquirem razão social com as festas, frequentam feiras, lugares para a população que imita o H que lhes organiza o comportamento, alguém te disse que o comportamento é o que se impõe, a condição da sobrevivência das que se fixam nas salas para exame, examinadas pelos agentes, apropriadas para o tempo livre nos hotéis/quartos, climatização, fora do aborrecimento, cama serve para se esfregarem, esfrega-se na toalha, mulher intervém em todos os lugares, no quarto para deficiente motor, portas alargam-lhe o olho, o que viu tem dimensões que lhe alteram o olho, as pernas, imagina a cadeira de rodas, tem as dimensões aumentadas na cabeça, aparelhos recebem ordens, sensações do exterior, fora do lugar fora do genitor, abres-te para te fazeres outra, sentires o que outra deverá sentir fora do genitor, os fechos das portas do quarto ao nível da cintura, és deficiente, escondes-te do genitor no quarto onde se estabelece a ferida, a deficiência dos móveis, da corrente que te leva a um quarto para deficientes motores, notam-te o comportamento, confusa interrogas os músculos faciais, aproprias-te da deficiência, deficiente na cadeira propulsionada pelos braços, dividiste-te em duas, uma paralisada na cadeira impõe-te a vontade, paralisada implica distância entre a vontade e a resposta mecânica, respondes com o que vestes, escolhes a roupa, escolheste-a para os que te despem tocam, alguém toca as mulheres perto da piscina, alguém construiu a piscina, alguém te construiu a ti a ti, feita por um genitor pelo Ehemann pelo H pelos políticos que te enchem, enchem-te, enchem-te o lugar os vestidos os olhos, funcionários com chávenas de café chá copos documentos dossiers sacos de plástico abrem o íntimo à que frequentam, abrem-se-te, íntimos, esfregas o íntimo esfrega o íntimo, alguém te persegue, dizem-te o que a cadeira indica, marcada pela cadeira de rodas, pela altura do lavatório, dos fechos das portas, a cintura é a medida da deficiente, inércia da cabeça, instável da casa de banho ao quarto, não te convém encheres a cabeça, aproprias-te do quarto, colada à cadeira, variações da mesma no quarto onde aplicam gente, outros na sauna, lugares da frequência social, funções fazem-se com ajuda do olho, dos membros, se não os tens em funcionamento não és eficaz da casa de banho ao quarto, viagem acaba no que lhes dizes, provocas amolecimento, pertences ao que não conheces, no quarto na cadeira de rodas, instalação-arte, disse o masculino, o único no quarto, masculino não está na cadeira de rodas, vontade não acabou, os que a têm saem, não sais do hotel, os que usam dos olhos medem-te a incapacidade, mulher folie bergère, adjectivo rural, campos animais leite alergias feno pintura Heimat, loucura do campo, da pastora, religião dos lugares santificados, aparições, aparição masculina chega-te, não houve milagre maior, reformado bricoleur tem profissão, prende-te, autómata, cliché do domínio, mulher puxada liga a cabeça aos veios que a fecham, a capacidade diminuiu, social queixa-se de ti, chama-te deficiente motora, deficiente dos músculos, do motor da vontade, do motor do cérebro, enigmática para o exterior, somos exteriores à morte, comemos nos restaurantes, estou num deles, ostras vinhos peixe misturas, refeições referem-se às regiões às protecções regionais, confirmam a política do H, outras referências não as dizes, fechas-te na cadeira de rodas, percurso da casa de banho ao quarto, és parte do quarto da casa de banho das paredes da cadeira de rodas, hotel acolhe clientes, dirigem-nos aos quartos, nenhuma escolha dos quartos aquecidos pelo administrativo, aquecimento garantido pelo Ehemann, aparição do Ehemann, do político H, mínimo social garantido, social esforça-se, abnegado, jogos electrónicos dispõem-me ao casino à sauna aos restaurantes aos proprietários que habitam a Gartenstadt, genitores concentram pessoas e objectos, conhecem-lhes os valores, o uso, a condição dos objectos dentro do exíguo, arrumam-nos na cave no sótão nos intestinos, lugares internos, externos, enfiam-se onde os colocam, reproduzem o mesmo, mulheres como eu reproduzem o que vemos, as membranas mortas, aproximo-me da idade que me fulminará, apanhada pelos agentes, multiplicada por várias idênticas, sopro identifica-me à Mutter, às Mütter, reproduzo os chapéus delas na estação, tomam o combóio ao encontro dos genitores trabalhadores bricoleurs, apressam-se, seguem minúcias, defeitos, curvam-se para a limpeza, curvatura depende dos hábitos, limpeza chama-as, genitores úteis fixaram materiais, impregnaram-se deles, genitor sou eu própria, dentro de mim o genitor único, único de quem tive medo, tenho, outros na vontade, na imaginação, outros dedos tocam-me o cutâneo diante dele, dedos entre o slip e a pele, dispo-me na casa de banho, represento-me enterro-me, sensações medidas pela idade, envelheço com os dedos nos centros, dedos sobre a língua, língua centro que me desfaz, que os dedos dos homens das mulheres tocam, indiferente, sou mulher por me enfiarem os dedos, por ter dedos a enfiar nas aberturas, primeira parte da mulher está nos dedos para coser tocar cozinhar limpar, verbos, mulher/verbos, líquidos aumentam com os olhos, com a pele, a conduta da mão sobre a pele quando retirada a roupa que me serve de etiqueta social, marcas marcam-me para o genitor que me compra objectos/roupa, as filhas na piscina com o político H, personagem de jogo electrónico, feito besouro cantante, molusco viaja, diz em várias línguas o que representa para o Ehemann, os produtores satisfeitos, social satisfeito exprime-se pelas mulheres que afirmam o que somos, filhas afirmam-me, indicam o lugar que ocupo fora da piscina, estou fora da piscina onde o político H se molha, contrariado, irrita-se, contrário ao banho, às piscinas, à água, banho no exíguo num local aberto, fechado, turismo na montanha, lava-se na banheira, água para o político desportista H, sempre desportista, atleta, actor social votado pelas mulheres, eu não voto, não exprimo os genitores, alguém acompanha o H durante a visita ao teu possessivo, agrada-te o possessivo, posse não é só dele, possuis o genitor possuis filhas roupas rouge à lèvres piscina aparelhos electrodomésticos, vista que te capta a distribuição dos animais das vedações dos utensílios, ouves as sirenes da polícia, alguém controla os personagens políticos que têm história, um deles é genitor como outros, há muitos, contam com o social que te classifica mulher, abrem-te a linguagem, classificam-te nua na casa de banho, no quarto para deficientes, fulgurante para o exterior, olham-te de fora, representas o social cabaré à janela, representas o que te cresce, de que te alimentas, como esfregas a pele, com que produtos, marcas, individualidade intriga os que te vêem de fora, têm binóculos, sapatos e meias causam-lhes líquidos na boca, os teus dedos causam distúrbio no político H na água, genitor frequenta bares, não só, dedica-se aos objectos, bricoleurs fabricam o ambiente, apreciam detestam, ecológicos, detestam os estrangeiros apreciam o rústico, música nos altifalantes das feiras orientam os genitores acompanhados pelas mulheres pelas crianças, há cães, armas escondidas, Mütter, genitores têm Mütter, tempo não mudou, presente acompanha-os, mulher não conta, balança-se sem fala, a fala no balanço, na balança, balança, veste-se, balança-se nas ruas, não come, tem deveres, come por dever nos lugares que lhe abrem a memória contrária à do Ehemann, do seu Ehemann, ela é dum Ehemann, do único, sacrifício estende-se até ser o próprio Ehemann que te governa, Ehemann governa-te as roupas as filhas a piscina o jardim da Gartenstadt a cama, piscina outra vez, pede-te refeições, a obrigação de gesticular à janela, objecto de Lunapark à janela, strip à janela, festa na piscina com o político H, outros colegas, antigos colegas do genitor, não dela, não os tem não os criou não conhece os que o frequentam, presa à cozinha à casa de banho que limpou hoje, dia do político H, reformado conhece o social que petrifica os trabalhadores nos jardins com relva artificial, genitores regam as relvas de plástico, rega-se, dá-se banho, Ehemann infantil glorioso tem fraldas, as chupetas são os mamos da mulher das filhas, filhas de borracha incharam com a nutrição, ela própria, Mutter convicta, encontrou o infantil nas articulações desde o nascimento, balança-se para o Ehemann, ao princípio uma dificuldade, chamou-lhe Ehemann chamou-lhe dificuldade atrito confusão, confundiram o que sentiam, música livros, vida comum dos que têm lugar na Gartenstadt, prazeres comuns, filhas na piscina antes do político H, escolhes a roupa que vestem, filhas nas montras, escolhes os actos directos, actos directos cumprem-se, as ranhuras na pele, psórica denota que (ele) se cansa, Ehemann cansou-se com o stress, pediu a reforma, social reformou-o antes do tempo, há tempo para os reformados, pré-reformado forma as filhas de borracha a chupar, construiu a piscina, orienta a assembleia da Gartenstadt, procura o ecológico da água dos legumes da carne, afasta os estrangeiros, cumpre os limites da Gartenstadt, cumpriu as funções, hoje na reforma, filhas de borracha cães vizinhos iguais, mesmos gostos, fala com a mulher, dirige-lhe os gostos, Bach Haëndel, ouvir música na catedral, recolhimento, nada fora do clássico, compositores recentes são incompreensíveis, não pertencem ao social que garante hospitais reformas políticos H, o que é garantido pelo político é confirmado pelo artístico, arte protege e confirma, confirma e protege, piscina dá prazer ao reformado estendido no Ersatz de relva que rega, reformados garantem o político H, reformado estende-se ao sol no descanso-jardim, onde estás, o que faz é segredo, do terreno vago à piscina à relva às filhas de borracha à rega, directo ao político H, roupa apodera-se de ti, olhas para os que te expõem, os que fizeram sem ti, social fez-se sem a tua participação, reformado garante o político H, arte foi executada sem o Ehemann, não produz arte, rega Ersatz de relva, arte subsidiada pelo político H, não te dedicam a pintura, obras são dedicadas ao H, cultura social, fazes as obras que o social espera, mulher recipiente, filhas recebem educação nas escadas no hall na despensa, a tv serve para o descanso, têm ar condicionado no quarto, pesam-se na balança, controlo do peso, olhas para o vidro iluminado pelo publicitário, olhas-te publicitária, sombra cresce no lugar que te deram, forneceram-te um espaço exíguo, um genitor bricoleur ocupador da relva da piscina, bricoleur reformado vota no político H, cresce-lhe o mental com o H, identifica-se com o H, constrói material para o H, para a intimidade com os vizinhos que se escondem em grupos, criam intimidade neles próprios, vizinha diz que os gatos são um escândalo, fobia dos gatos, vizinhos desfraldam a bandeira, sentem a região, crescem com ela, sensível alimenta-lhes o regional onde cresceram na escola com as Mütter com os genitores bricoleurs frequentadores de campos de tiro, campos de beterraba, crescimento implica terrenos férteis onde se plantam, Mutter à janela, homens e mulheres denunciam os que circulam sem bandeira, os que vieram de fora, que não pertencem ao regional, os que pertencem ajudam a construir piscinas, a consciência tranquila, perderam a história ganham a história do político H que os visita, bebidas música regional, arte ao serviço do H, discursa sobre arte, figuras da história protegidas pelo H, outros como ele nos próximos governos, sustentados pelos habitantes que querem mais protecção, têm pouca, as filhas de borracha idem, formam-se com o regional com a arte a electrónica, disseram os escritores ao serviço do social, disse o que te faz comprar roupas, ser a partir das roupas, laço para o cabelo, lençóis, compras utensílios para o Ehemann, masculinos compram, armazenam na cave no jardim a manifestação do que são, como formam o dia as horas, agarrados ao que os constrói, utensílios formadores, territórios soberanos dos amigos do H, reformados compram acumulam, são proprietários, cérebros de proprietário, gerem as canalizações as pinturas a humidade o tecto telhas piscinas jardim plantas cães, não há mais inventário, lista enche duas páginas, filosofia do proprietário expõe-se nos cafés onde os desportistas se reúnem com o H, Ehemann tem agregado centro da produção dele, exige que o compensem com massagens, propriedade forma-se na piscina no Ersatz de relva nas filhas de borracha na mulher na reforma sol vizinhos, esqui durante o inverno, viagens, roda do Lunapark diante da Gartenstadt, horizonte abre-se do quintal/jardim até à feira onde a roda serve os compatriotas, nacionalidade está na roda do Lunapark, piscina chapéu de sol sandálias japonesas próprias para a relva para a água, distingue o exterior do interior, o mais íntimo quando despe veste a roupa interior, transpira ácidos, morte tem ácido próprio, ensaboa-se, outros, os mortos, cobrem-se com flores, astúcias-flores escondem o putrefacto, masculinos não apodrecem com as manipulações as secreções, roupas absorvem-nas, viras-te para um dos lados, tens movimento de sandálias japonesas no jardim, actos executam-se com os membros, obedecem-te, automatismo está em ti, irritas os músculos, não mexes durante quanto tempo, cama preparada para o sono com comprimidos, fui secada, indicou-mo a assistente social, não tenho líquidos, inspeccionam a casa de banho colectiva, cozinha colectiva acabou, lugar descrito pelo Ossip M., tu não, não viveste na cozinha colectiva, estiveste noutro lugar não tens marcas, não marcas ninguém, fulminada pela música agitas objectos, aproprias-te dos electrodomésticos, óculos contra o sol cremes filtros, a objectividade ilumina-te, corres para imitar, corro, alguns nas cadeiras, familiares de várias idades, familiares marcam a giz no chão um lugar para cada, descrevem-se, ignoram o que foste, cresceste com os que estão entre bandeiras festas jogos para o social, jornais patrocinam os jogos que ocupam a praça, projecto social do político, H orienta a actividade na praça, personagem filosófico assenta o social, políticos acompanham os cidadãos nas feiras nas festas com discursos sobre xenofobia, defesa dos interesses locais, nada de estrangeiros, estamos saturados, defesa dos direitos dos que habitam aqui aqui aqui, prioridade ao nacional, ligados ao lugar que nos é próprio, associamo-nos, violência aumenta, a mascarada a mascarada, dizes tu, mascaram-te o universo com os festejos, actividades na rua, o visível é correcto, o íntimo visível dos que têm bandeira, viste-os no mercado do domingo, cães acompanham as feições dos que compram, mercado delimitado, cães delimitam-no, delimitam as filhas de borracha, cães condição da segurança, outras condições virão depois, criadores da segurança treinam os cães, têm armas, formam equipas para as manifestações, formam os habitantes para a participação social, participantes maleáveis, crianças nos carros para crianças, equipamento para os rebentos, jogos bonecas rebentos nos carros para crianças, rebentos exprimem as carnes dos genitores transpiradas quando caçam correm perseguem estrangeiros, silenciosos quando pescam nos canais, piquenicam com as filhas, mulheres compram legumes limpam cozinham cosem lavam wcs, filhas jogam com o electrónico, piquenique cerveja galinha queijo Wurst, criticam o que compram, conscientes das compras, do valor dos produtos, do que se consome, consumidores, escolher faz parte do direito de cada, seleccionam informações sobre os objectos a possuir, revistas indicam como possuir filhas mulheres, definem o regime de posse dos que as pedem, sentados à mesa onde acentuam a posse, na sala onde termina a limpeza dos legumes da carne das Kartoffeln, no jardim onde ocupam espaço para ordens, lugares onde dão ordens, revistas aumentam-lhes a posse, revistas incitam as mulheres à produção de crianças preparadas à transpiração regional, à expulsão pulmonar, jogam na praça o mental estruturado pelo H, definem a força o timbre, assustam pelo timbre, as mulheres nos corredores, habitantes dos corredores perdem o geográfico, ganham a distância de cada frase dos reformados nos corredores, comem na messe, adquirem tacto, nada que as fira, tarefas não se descuidam, convidam-se para refeições piqueniques junto dos canais, geht es? assistem os íntimos, ter íntimo é valor de cada, um íntimo para cada que suporte o H, valorizam o íntimo na cozinha com as receitas, junto da máquina que borda, a borda, Mutter na borda, os dedos na borda dela que a esfregam até babar-se, babar-me, sou produção contínua, filhas múltiplas adquirem a minha cabeça, subordinadas aos bricoleurs reproduzem o que eles produzem, fizeram-te reproduzir, reprodução não autónoma, a “minha” Mutter presente, a que não viste, uma que não viste, fala de ti, de mim, disputas-te com a “tua” Mutter, nunca te chamaste Mutter, não te chamas Mutter, dizes o que és quando ouves a função sair das outras, nunca Mutter, masculinos falam da Mutter, enterram as Mütter, as próprias Mütter, vão ao enterro delas, genitores têm função prioritária, não o sentes, genitor acabou na função que te causou inchaço, desapareceu depois de cada descarga, bricoleur na piscina com o político H, bricoleur de segunda, agente secundário, político H existente na piscina, primeiro plano das actividades junto da relva, segundo plano no clube político, pedem ao político H que os conduza na defesa na segurança na religiosidade na expulsão dos estrangeiros, filhas prontas a receberem o político H, H na piscina com o genitor, as filhas são decoração, H com a Mutter-filhas-cão-genitor de sandálias japonesas, música nos quartos, na sala de jantar onde se concentra o genitor depois de comer, cão obediente, a pintura nas paredes, quadros de quem, onde compraste tal coisa, H faz troça do teu gosto, onde compraste isto, defesa dos interesses dos artistas que defendam a região os habitantes a pureza da arte ao serviço do social que nos organiza o mental, nenhum equívoco na defesa da moral, cliché do habitante-jodler preparado na universidade, a pureza das instituições, piscina é índice de estabilidade, da engorda, controlo das doenças dos animais que esquartejam para comer, expostos nas feiras, exemplos da pureza garantida para consumo, social afasta os perigos, bricoleurs guincham grunham nos terrenos desportivos, nos terrenos vagos, criam segurança, identificam a força da individualidade, são o efeito dos objectos que fabricam, social fabrica a identificação dos habitantes, objectos idem, jodler do bricoleur distraído com as ferramentas que o apertam estrangulam, assassinado pelos objectos, eliminado iluminado pelos spots que montou, quermesse, visibilidade aumenta, produção de electricidade pertence ao século, à encenação das festas locais, regime interessa-se pelos habitantes, produz assistidos e assistentes, períodos eléctricos, directores proprietários definem os poderes, os direitos dos que confirmam a bandeira a região as festas a saúde, progresso do turismo, do gosto, desejos de arte, propaganda da região que os ilustra, feitos para as montanhas, animais a caçar atribuem o natural aos montes vales colinas, bricoleurs na intimidade dos jardins com piscina de plástico chapéu contra o sol sandálias japonesas óculos escuros bóias, as filhas na água quando o político H ausente, esperam por ele, político H representa o que a memória selecciona, intimidade do slip, mamos nus, são chapas para o sol, bronzeadas bronzeados, mulheres antes deles, bronzeadas penteadas músculos firmes, obediência dos músculos das pernas que se abrem para a bricolage, motor-home em frente do exíguo, a panóplia monta-se, adquirem os objectos que os consomem, materiais, alimentos confirmam o estatuto do director que te diz o que come, o que cozinhaste para cada prato, comem-se directores, destroem-se directores, director explica-te os ataques cardíacos, discussão chega à morte dele, não à tua, visível à mesa, na piscina, bricoleur pressente o que o director quer, se sofre é por defeito, extingue o supérfluo do cérebro, a prática sexual, músculos reagem à corrida, proprietário tem cão, passeia-o ele próprio, higiene dos cães, órgãos vistos pelo veterinário, genitor pratica higiene com o cão, sensibilidade tem campo apropriado do supermercado ao squash, manipuladores atraem-me para me dominarem na zona escolhida por eles com máquina de coser com fogão, higiene das filhas, sou atribuída ao genitor à piscina ao clube, encontras os que se inscrevem no regional para te cobrirem, cobrem-te, cobrem-me, não renuncio, fertilidade não é enigma, funda-se nas experiências, mulheres são órgãos úteis para a fabricação do social escolhido, estás junto da separação da casa exígua, exprimes a propriedade nos ombros no avental, ele exprime-a no cão nos utensílios, faz de genitor no colchão sobre o Ersatz de relva, lugar do partidário do H, físico trabalha até à tontura, excita-se quando me apanha os slips do chão, a permanente enfeita-me, direito ao enfeite, gorduras na toalha, escolheu a cor, disse azul, habituou-se ao azul do colchão, lê o jornal que lhe trata da história quotidiana, jornal fala por ele escrevem por ele, como votar, o melhor está escolhido, escolheu campos montanhas refúgios chalés, definiu o histórico que garante o uso do avental na mulher, emblemas perpétuos, molha-se com a mangueira, finge cortar a relva, gestos não lhe transmitem o sensível, espia as filhas que se beijam, não regradas pelo social, envergonha-se das filhas, as duas na cama, lugar da suspeita, comprou as mobílias decorou, gosto exprime-se nos quartos na sala nas filhas, (elas) não escolheram, escolha é de quem tem utensílios, a vista virada para o Lunapark, habitante faz escolha social, política do jardim do Ersatz de relva, social intromete-se controla as actividades das filhas sobre o colchão, sonolência abre-lhe o que vem de dentro, o que lhe treme, gordura treme-lhe no duche da mangueira, na piscina, lugar das filhas amigas amigos políticos, do H, Ehemann ilumina-lhes as pernas, ilumina as ancas das que se introduzem no campo visual dele, arquivo do Ehemann, mulheres arquivadas arqueadas, fotos nas paredes, clichés argumentam, estabilizam-lhe o moral, fruta sobre a mesa, o roxo da saia, flores da saia, trata das roupas, das cores, Ehemann enche rápido a cabeça, ideias formam-se com a tv, com os jogos, bandeira à janela para as festas, não só, tudo depende da opinião que afirma, da exuberância dos costumes, t-shirt publicita uma cerveja, tem gosto gostos gosta, define o que gosta, abrevia as dores, o que não sente não sente, o que pensa está na tv, na política do H, físico prepara-se para o futuro, festeja a reforma que lhe dá a posse do jardim, o seguinte pertence ao vizinho, protegem-se em comunidade, defesa dos interesses comuns, homens têm o comum, são comuns, automóveis diante das garagens, segurança dos movimentos, tem importância onde se vive, disse ele, ela não diz, dirige-se para a sombra, assiste ao que é na paisagem onde instalam a feira, horas do dia impregnam-na, o termo, impregnada de coxas costas mamos braços órgãos, entradas e saídas, a pertinência do encontro com o homem que a segue despe introduz, introduzida pelo iluminado, destacado, lê-a nas meias, nos volumes que despe, mulher tem rendas, atraído pelas meias, paisagem urbana, mulher sai avança cresce salienta-se abre-se, ninguém na rua, paisagem tem planos, a trela para o cão do genitor, hábito cria doença mental, arrefece despe-se adormece o cérebro, tremura do cerebral, do que se constrói na cabeça, o estacionário na cadeira do jardim, irrigação garantida pelos comprimidos, pressão sanguínea fornecida pela tv, não vive sem tv, não quer viver sem tv, adormece na cadeira treme-lhe o cérebro, telúrico, adapta-se, técnica escolheu lugar nela, funciona para salvaguarda dos que têm toldos nos jardins, dos que confirmam o que depositam em caixas na cave no sótão, enche a garrafa-termo com café, tem chávenas, não foge ao resultado, o despido lê um texto filosófico, um jornal, um guia, os pés sobre o Ersatz de relva, sujeita-se às intempéries sem mudar de lugar, o exíguo assegurado, o jardim, trabalha nas traseiras, abertura do porco obedece ao calendário, métodos, reciclagem dos movimentos, nova geração abate o porco, expõe bandeiras às janelas, refugia-se nos parques de atracções, atraída pela velocidade, manutenção dos materiais, aprecia o progresso, fenómenos instalam-se nela, disseste, homem disse, Ehemann prepara a festa nocturna, muda de sapatos, estão no armário, não os encontro, estão no armário! não conhece o exíguo onde se murou com as filhas, genitor sobre a relva cortada regada, jardim contém relva contém o exíguo, diminuiu a distância entre eles, construiu o exíguo com ajuda bancária, adaptaram-se ao exíguo que me cimentou, as condições do cérebro expandem-se para o jardim, estou com ele no colchão, toco-lhe, volume viscoso humidificado, nojo, Ehemann humidifica a pele, o viscoso aumenta conforme se estende ao sol, tropeço no nojo, no volume morto, morto abana, sacudo-o, Ehemann desde a infância no jardim da Gartenstadt, lugar marca-o, Ehemann desequilibra-me, a minha base está no que não lhe digo, sustento-me do que sou, as filhas lambem-se no quarto, afastam as saias medem os buracos a dimensão dos pêlos, a cobertura do buraco que abrem com os dedos, abrem-se tocam-se escondem-se no quarto para o toque na zona dos buracos, dois, um na frente outro atrás por onde saem os excessos, os líquidos excessivos pela frente, o fluxo sanguíneo marca-as iguais sem o Ehemann que as vigia, persegue-me, prepara a barbecue para o político H, reformado teve horários, actividade, despejou o cérebro para os directores, quantos anos, emprego prisão, ter sido prisioneiro da profissão vangloria-o, inchou-me, fui o resultado dos líquidos dele, da força de trabalho dele, a minha está na janela, nua à janela, formei-me nos corredores, sou ordens ao kg, engoli ordens, facilitei-lhe a ordem do emprego, directores orgulham-se, formam-me o orgulho que não constituí, não sei, bricolo, as filhas ao colo, deito-as à água para as afogar, ver à superfície o que as torna insonoras, pertencem ao H, feitas por ele para ele, no quarto entre elas, ninguém as vê, ele vê-as, produtos da cave do jardim da Gartenstadt dos sapatos que lhes comprou, está nos dossiers o que pagou por elas, o que lhe custaram as que viveram sob a pata dele antes da construção depois da construção, onde estão as raparigas, o que vestiram que espaço ocupam, tudo calculado em tatamis, medidas por tatamis, meço um tatami e pouco, tenho contas a apresentar-lhe, tropeço no colchão, pseudo-praia junto do exíguo, cultura da praia costumes para a praia sol sobre o exposto, matéria exposta protegida pelo toldo, pelos cremes, óleos, a lavagem, a realidade acomete-me, sou instrumento do exíguo, a distância curta entre eu e os outros, moradores familiares, móveis disponíveis, pintou a casa de banho, limpou o monumento, do monumento ao exíguo da casa de banho, dimensões para cada fenómeno, Ehemann controlador da limpeza, da manutenção do lugar para a cerimónia com o H, notícias no jornal que lhe metem na caixa do correio, nenhum esforço para comprá-lo, lógica vem do jornal, dos monumentos, da transpiração ao sol, nada foge ao social, a mulher garante fidelidade, filhas vieram de ti, genitor das legítimas que defendem os costumes, o privado priva com o público, Gartenstadt prova-lhes a integração no exíguo, estão à mesa, condição do exíguo estarem à mesa durante a experiência da sobrevivência, engolir em conjunto, engolir custa lavorare stanca, aparelhos eléctricos ajudam a deglutição, massa do Ehemann acusa alergia, genitor ocupa 73cm da mesa + o peso dos maxilares a articulação dos cotovelos, a propensão ao desgosto diante das filhas, representação excita-o, distribui pressões sobre as que lhe garantem o lugar central, a risada, filhas e mulher ao serviço dos pratos travessas copos talheres, passa-me o pão o azeite, ordens frutos do cultural, pão azeite pratos ordens do Ehemann à mesa, religioso obedece aos símbolos, o guardanapo é mapa, mesa é região da posse, lugar da afirmação do Ehemann amigo do H, espera por ele, recepção do Ehemann, dos habitantes da Gartenstadt, o que lhes corre pelas veias é desporto, actividade lúdica, representação para as femininas que os olham com agitação interna, do exterior partem as manobras, a correcção dos movimentos, vinho cerveja cigarros, ambiente formado pelos que se preparam à recepção do H, Ehemann denuncia as que se distraem, aplica-lhes o braço à cintura, envolve-as apodera-se delas, estoira-lhes as borbulhas das costas, 

iluminada até à acção seguinte, preparo o que tenho, desvio-me do sexual sem resultado, sexual prioritário a qualquer acção, não estou fora do homem que me aperta, cresci com o aperto do Ehemann, marcou-me marquei-o, clichés de folhetim, posse na sala, acção estende-se para o lado esquerdo, a janela sem cortina, efeito da luz, acções sem sequência, homem afirma soletra, soletrou acções sem lógica, castiga a mulher que lhe infringiu os direitos, leis organizam-no, mulher esfrega-se para ele, meias pernas, objecto sexual aparenta satisfação, abre-se para o que esteve sobre o colchão, espremeu as borbulhas das filhas, contacto com o que sai das filhas, das borbulhas, mulher de sabots diante do que rebenta as borbulhas, escolhe o que lhes veste calça, vigia o acne das raparigas que se preparam para a piscina, adequadas ao que lhes diz, Ehemann favorece os habitantes da Gartenstadt, mamos cresceram-lhes, objectos esponjas incharam criaram melões fruta suco pevides, casca a cobrir com a roupa que lhes escolhe, Ehemann compra-lhes a roupa, escolhe, Ehemann na cozinha nos quartos sala de banho sala comum abusa ocupa, ocupador do exíguo ocupador dos canais que segregam líquidos, Ehemann comum instala-se no exíguo, filhas e mulher não lhe escapam, território masculino implica espaço onde circula, que ocupa, lugar para se vestir despir dispor, marca lugar à mesa com a intenção da voz, o que diz justifica-lhe a circulação a reforma o jardim onde se expõe ao sol, verão aproveita-se no jardim, olho no terreno vago até à roda do Lunapark, limite dele, da vista dele, limite regional exprime-se no Lunapark, no regozijo que lhe cresce com a presença da massa, acção por dia do olho, controlo do que elas vestem, diz-lhes o nome, indica-lhes as roupas, saias, sempre de saias diante dele, majorettes de saia e bastão para a recepção do H que visita o exíguo do Ehemann, os canais exíguos das mulheres que habitam com ele, mulheres contam como corrimentos para canais, lubrificações, mulheres à mesa ouvem ordens, o pão água vinho, mistura o vinho com a água, raparigas aborrecem-me, aborrecimento no exíguo antes da chegada do H, regozijo depois da chegada do H, animação é privilégio dos homens, mulheres apagam-se, Ehemann aproxima-se delas com a língua, dedos sobre as borbulhas, o desinfectado não cheira, nada baseado no cheiro, cheiros vêm do Mister Propre das que o limpam lhe esfregam a casa exígua, esfregam-no com Mister Propre, tentativa de assassinato, Ehemann bricoleur trata do jardim do Ersatz de relva das roupas nas gavetas, ordem ordens, Ehemann convicto da política do H conhece as roupas a distribuir, filhas repetem o que viram na publicidade, jornais indicam como dar cabo dele, com que fúria, com que armas, asco das filhas com armas brancas, o sanguíneo na piscina no ensino nas ruas nas boîtes dirigidas pelo Ehemann que se acalma com bebidas sol colchão e transat sobre o Ersatz de relva, engorda com a vibração solar sobre as carnes, boi batido pelo sol, toldo para os excessos, cremes, esfregado, esfrega os membros, o que abana, sexo abana, nudismo caseiro, hábitos a cumprir no reduzido, reduzido aos m², arranja o jardim corta o Ersatz de relva, garante que tem cão, tem filhas, tem cão tem filhas, garante que as tem para jarras do político H, chegou entrou despiu-se na cabina, temperatura continental, Ehemann aproveita o clima no colchão, reformado disponível, acção segue o que os presentes impõem, o que bebem o que dizem o que ouvem, festa caseira propõe música publicidade, altifalantes espalhados pelo Ersatz de relva, texto tem lógica, disse um masculino, texto do Ehemann prepara a lógica, o momento crucial, chegada do H para inaugurar a piscina, Ehemann foi escolhido, serve a teatralidade do H imposto pelo publicitário, H criado pelo que se produziu durante um século nas Gartenstädte, militarização das Gartenstädte, mulheres ouviram o que disse, não usa de microfone, anuncia as actividades públicas nos jardins, na piscina, políticos actuam nas Gartenstädte, vêm do rural organizam o urbano, habitantes beneficiam do contacto com os organizadores, directores habitam fora das Gartenstädte, construíram fora do urbano, amadores do rural, do contacto com a natureza, a natureza morta, o ainda em vida, a natureza ainda viva, a morte provocada pelas filhas, tem filhas tem cão, filhas estão próximas do habitante que lhes morre nas mãos, habitante preparado para o hospital, político H publicitário discute com o habitante, os cães pela trela, mais do que um, sistema de defesa, habitantes conhecem-lhe os hábitos, a grandeza, senhor de grandeza com propriedades, campos florestais garantidos pelos poderes, artistas protegidos pelo que conhece Brahms, Hölderlin, ligado ao Hölderlin, textos do Hölderlin entre as leituras do político H, de todos os políticos, Hölderlin fundamento do essencial, fora da natureza política, na natureza morta, Hölderlin Compost, natureza ainda viva, Stilleben, directores chefes de partido formam compost, H compost publicitário garante direito ao exíguo ao rural ao turismo ao tempo livre festas comemorações discursos sobre a memória que lhe interessa, parte essencial do H visita as autoridades, aplica o autoritário na região, tem direito ao luxo, o Ehemann ao exíguo, habitantes garantem-lhe o direito de possuir bens animais domésticos objectos nos armários na cave na garagem quadros nas paredes, o elogio do natural na domesticidade, habitantes construíram-lhe exíguo à beira da floresta, am rande des Waldes, arquitectura rural, espaço vital não reduzido, o que é vital para o H, filhas/equipamento reproduzem-se iguais, dependem do compost dele, filhas publicidade compost, filhas multiplicam as funções de distracção, político H tem bens, promove-os, impõe o que o cérebro edifica, edificador, transmite impressões na tv, elemento prioritário, Ehemann segue a publicidade-compost, tv organiza-lhe o que dispõe, organiza o que sai do cérebro, da massa, sou massa, dizem cinzenta, nunca a vi, tenho a certeza da massa, voto no político que me engloba, as engloba, Ehemann engloba-as, filhas fazem coro, habitantes ocupam exíguos novos, progresso, melhoria do nível de vida, têm vida, constituem o irremediável ainda vivo, não recuperam o que eram, melhorou-se-lhes o ambiente, fizeram parte do vivido, chamam vida ao que vivem, cliché, duplos deles próprios, bricoleur exprime drama se não tem as filhas as borbulhas o jardim a piscina o H, constitui-se a partir das que ensina no exíguo, todas nos quartos, olhos seguem-nas, fobia masculina, vestem-se diante dele, deles, do político H, mamos crescem nelas saliva pinga neles, salivam sem esforço, não cospem, Ehemann exemplifica, saliva cai basta abrir a boca, abri-la, saliva constitui-se quando se vestem, não salivam se ninguém se veste, endócrinas abrem-se quando se vestem diante deles, borbulhas enchem o Ehemann, tem uma foto do H e do filósofo H favorito, do H ao H, escritores organizam o que se esvai no cérebro, reformado ocupado com o que lhe transmitem no jardim quando corta a relva, o que lhe é próprio é cortado, jardim é intensidade sensível da relva que corta, relva corta-se com os instrumentos que se armazenam na cave, riqueza armazenada na cave, organização da cave igual à do cérebro, riqueza do cérebro, à da massa que dá sensível ao H que protege a cultura local, habitantes têm cultura a defender, sector do progresso, culturacompost, intensidade do compost/reformado com as mulheres, excesso de mulheres, domínio sobre o cão, tempo livre do reformado, representa para elas, em cena as matérias de que é feito, instrumentos governam-no, impõem-lhe sede deslocações intensidades, de sandálias japonesas no jardim, sol para os da Gartenstadt, sol sobre o Ersatz de relva que corta rega arranca as ervas que causam dano dolo erro, o jurídico que lhe acontece, sinais administrativos formam-no, filhas não obedecem, estão fora, não obedecem a nenhum humano, obedecem aos apetrechos, aos objectos-tutores formadores, objectos correm da produção às filhas, todas filhas de genitores que coordenam os territórios, os grupos de acção, as campanhas do político H, actividade desdobra-se, são o que os apetrechos produzem, votam conforme os vestidos, usos transmitem-se, bricoleur garante-lhes que assimilam a política H, daquele que garante que não haverá ciganos negros apátridas refugiados homosexuais deficientes mentais, toda a cultura dum século, diminuição deles nos limites culturais dos que habitam junto do Lunapark, cultura dos cães, cultura refere-se ao limitado, ao circundado, cultura começa na língua nas fotos na música, etc., cultura subsidiada pelo H prepara-nos para as sandálias japonesas, seres de sandálias japonesas, manifestantes de botas na rua, vigilantes empregam o esforço mútuo, raparigas telefonam entre elas, rapazes são reserva militar, telefone organiza-lhes a espera dos homens, lágrimas ao telefone endurecem-nas, despem-se vestem-se, as formas são significado, feitas pela escultora que as fabrica chorosas, a mão próxima do telefone, filhas vítimas do Ehemann que impõe a Mutter despida à janela, lugar iluminado, deitada no jardim junto do condecorado, crio-lhe desejo, erecção de reformado, digo o que vejo, o pouco que digo, não tenho texto, mulheres raparigas socorrem-se entre elas, solidariedade, transmitem o que têm, organização cria-lhes ansiedades, stupid looking model-types, caras empalidecem, cremes empalidecem-nas, facilitam-lhes o sério, uma empalidece, outra idem, quantas quiserem, presentes as que quiserem diante do masculino de sandálias japonesas, prepara-se para o emprego, reforma não lhe extraíu o hábito, mesa garrafa-termo para o café lápis lapiseira lunch, zwei Butterbrote, reformado no wc, cancro da próstata, do intestino, à escolha, transmite a notícia, outras doenças, tem o mental frágil, sensibilidade irritável susceptível de crise, a crise da rapariga, das raparigas, fila de raparigas em crise, cremes secam nas caras, formam pasta seca, raparigas abrem-se às Mütter, gravidez, ciclo normal da Gartenstadt, vestidos engravidam-nas, preparam-lhes o inchaço das barrigas, vestidos têm margem para o que se forma, genitor obriga-as à demonstração da gravidez, à confissão, exibo-me nua, obedeço às necessidades sexuais, controlada pela iluminação, ninguém que me use, escultora veste-me de shorts, cremes estalam na cara que protejo enquanto houver Gartenstadt que garanta a sobrevivência do feminino, temo não ter mais actividade sexual com os que me cercam, cercada, estar cercada causa o júbilo do político escolhido, assina o nome, desejo transmite-se pelo voto, voto no que me prepara o sono, voto no H, Ehemann vota no H, diz-lho junto da piscina, melhoria do nível de vida desde a guerra, parte diurna ocupada com produtos que me rejuvenescem, cremes fabricam drama, abrem rachas na cara depois de secos, arrancá-los é cerimónia, pertenço ao cerimonial, a melhoria ao espelho, produtos reflectem-me, exposta à luz, abrangida pela luz, a lata aberta, cerveja, bebida faz parte dos gases que explodem na mão, barulho investe-me o cérebro, garante-me fragilidade quando a escultora não me orienta no nocturno que me dificulta o sono, mexo-me na cama sem o masculino que usa a massa e a vista com a tv, jornais informam-no sobre o H, aquele que me atrai, recíproco, mulher atraída, bem estar dos habitantes da Gartenstadt, cópia do sistema fundador, garden city, lugares onde o ameno se cria depois do sofrimento do trabalho, descanso merecido dos trabalhadores nas Gartenstädte, os objectos as funções as garantias a segurança à mão, legislação adequa-se à arquitectura, ao fraseado dos que falam, construo-me com os objectos, registo o sofrimento, o sanguíneo impõe-se na cozinha, parte do exíguo dedicada ao que escorre, o que escorre representa-me, representa-o, sangue é elemento masculino, mulheres têm soro, feitas de líquidos transparentes, mulheres/osgas, anatomia à vista, abertas, abro-as no wc utilizado pelas que têm função fecundadora, filhas vertem sangue, sujeitas a regras/osgas, colam aos tectos, sujeitas ao que as cola, coladas ao tecto, filhasosgas do Ehemann regrado, o sensível preparado recebe o masculino, inseminação artificial, progressos favorecem-lhes o estatuto, melhoram de salário, de função social, aumento futuro de monumentos que representem as Mütter, de nomes de ruas, H resolve a crise social, disse o Ehemann que saíu do Ersatz de relva com a tesoura de cortar relva, shorts fato de banho molhados por ter mergulhado na piscina que construiu para o político H de shorts, para as filhas, os filmes que viu estão-lhe na massa que olha o H, confunde-o com figuras do cinema, a história do cinema de shorts, aproveitamento cultural intenso, prefere filmes cómicos, actores cómicos, no cómico está a tranquilidade do H com as filhas do Ehemann, nudez oferta, cliché, filhas oferecem-se à vista ao braço à massa do H, filhas eleitoras, sacrifício do Ehemann para o visitante H, oferecidos os animais, vem dele a base o sopro respiratório o sacrifício, mental dá-se, massa abre-se ao H, estreitam relações, estreitam, Ehemann constrange-se prejudica-se para o bom funcionamento da política H, o futuro está no sacrifício, filhas interrogam o H, têm vontade social, vestem-se segundo os limites da Gartenstadt, repetem o que lhes ensinam nas escolas que as preparam ao ensino superior superior, ao que há de superior, progresso das funções, profissões adequadas à história social revista pelo H, memória serve-se do que lhe interessa para a selecção dos habitantes, social de acordo com as Gartenstädte beneficia do estável, raparigas têm formas, crescimento garante cus, cu é a palavra necessária, disse o Bataille, diz o genitor, diz diz, força-se a dizer, forçado pelo sistema que as filhas lhe propõem, o cu é a melhor parte que lhes toca, cu é sistema das filhas para o genitor quando se despem/vestem, operações simétricas, uma não vai sem a outra, uma despe-se outra veste-se, não lhe ocultam o íntimo, favorecem-lhe o mais íntimo, fora dele o íntimo explode-lhes, raparigas desenvolvem os cus, a panóplia íntima entre elas, genitor de fora, elas fora da Gartenstadt, eu expulsa do território ocupado pelas filhas que incham, baquelites aplicam-se às que, em fila, forram os cus com nádegas de baquelite, aumentam as dimensões dos mamos com baquelite, roupa facilita a ingestão, elles se branlent ensemble, são bonecas de aperto, formas oleaginosas, apertam-se fora do genitor, formam futuro fora do genitor, preparam-se às nádegas de baquelite, conhecem a função que têm, futuro não está, preparam-no nos modelos para as fotos, faces igualam as dos modelos, imitam, objectos de decoração do quarto estão nas revistas, lugar da Mutter à janela, exibição, conchas, reflexos do que sentiram durante a estadia no exíguo, nevróticas durante, estacionárias durante, cérebro constitui a paragem, o relevo das conchas, revistas dizem como se formam os objectos como se decora o quarto o que se faz no wc, fecham-se para a branlette, filhas do genitor filmam-se agridem-se descrevem-se com os objectos que as formam, vontade escrita nos cadernos, informam os assistentes sociais, lêem os textos ao genitor, balbuciam-lhos aos ouvidos, beiços balbuciam o que acontecerá à pele aos ossos, aos ventres de baquelite, filhas teatralizam os ventres de baquelite, gravidez implica que o genitor aceite, garante-lhes insultos torturas desmaios, o que nunca ouviram, subentendiam nos comentários do genitor antes dos inchaços da baquelite, cus e ancas de baquelite aumentam com a gravidez, palavras existem, social tem fraseado adequado, sintaxes para cada situação, encenação nasce do que fazem com as baquelites, mamos ventres ancas alargam com os nascimentos, passam a Mütter, dramas não existem sem o genitor que as orienta, que se orienta, genitor primeiro beneficiário do que diz, diz para ser intenso, considerar-se inteiro, socorre as filhas sobreexpostas à luz com ventres ancas mamos de baquelite, a semelhança informa do resto, genitor reproduz-se nas filhas, Mutter reproduziu-o exacto nas filhas, Mutter sobreexposta passa as mãos pelas meias, as filhas na Gartenstadt, habitá-culo, veracidade do slip, voz disturba-me, não me represento, efeito na Gartenstadt onde o bricoleur é objecto uniforme fato de banho shorts sandálias japonesas mangueira construtor da piscina, instalador transpira o que tem, suor-gotas, sangue-gotas estremecem-lhe o cardíaco, decorado pelo que fez, instalações adequadas à luz que o enche, enchido pela luz, secado pelo sol, os braços pendentes, a extensão do animal na banheira, na piscina de plástico, peida-se mija-se, calor pelas pernas, chita das saias das filhas, as duas, mein Arsch mein Arsch, as duas fora, indomáveis fora dele, tocam-se fora da Gartenstadt, elles se branlent! geografia local engolida pelo genitor, não sai do geográfico, água à temperatura solar, aquecido na careca, cabeça indica-o na água, cospe água cloro com saliva, genitor ensaliva no relvado da piscina, entre a piscina e o relvado, feito de piscina óculos escuros colchão de praia, reforma exige-lhe actividade, filhas têm saias de chita, emblemas encenados pelo genitor, mulher à janela dá-se por aparelho sexual exibido, sexualidade sem o genitor, onanismo movimenta-a à janela, fora da piscina, untuosidade, creme sobre a pele, dentro dentro, um creme que se esfregue dentro da vagina para a circulação dos dedos, dos objectos lisos, dos pénis dos que me passam revista, o Ehemann no jardim, a cara do genitor num grande plano, projectada, eu projectada num écran, sou a projectada pelo genitor à janela, proposta social para os que ensalivam, genitor ensaboa-se lava-se, limpo, limpeza organiza-se, organização dos pêlos, engorda com a força solar, paisagem urbana roulotte no no man’s land, separação delimita o que é dele, limitado pelo urbano, desconhece o que está para além dos limites, urbano decide da paisagem, disse o genitor, filhas usam o timbre do genitor, imitam-no, exterior idêntico, mulher fabricou filhas de chita iguais ao genitor funcionário bricoleur ocupante das partes tubulosas da mulher, lubrificador exaustivo usa dos braços, bracejar é costume náutico, a certeza, tem certezas, a certeza de que é o genitor, deixou marca nas filhas, não na Mutter cujos vasos incharam produziram ambientaram as filhas ao terreno do Lunapark, Gartenstadt impõe o exíguo à mulher, o que lhe soa ao ouvido é discurso feito para enchê-la, tortura desloca-a até ao calor, líquidos molham-na, genitor braceja na piscina, solar bronzeia-o, vê-se o resultado, corpo veemente, mancha vermelha apodrece de sandálias japonesas, apodrecido desde o começo da reforma apodrece a construir a piscina outro wc o sala para as visitas, bricolage apodrece-o, reformado tem os pés sobre o Ersatz de relva, mulher esfrega-se com a toalha, esfrega-se, despida, roupa que a cobriu no chão, imita-o, tem sede, calça-lhe os sapatos veste-lhe as calças a camisa, genitor panóptico controla os movimentos, ocupa as traseiras, de sandálias japonesas, terreno vago dentro da vista limite, aventura-se no terreno vago, mede com a vista a distância da relva ao Lunapark, a land na cabeça, headland, actividade nasce do vago da reforma das filhas das sandálias, é Ersatz que representa os outros, múltiplo, exemplo para todos, multidão massa a partir dele, reformado diz a idade que tem, prepara-se à morte, surgem outros, uma fila deles, peles não bronzeadas, Ehemann são vários, massas em fila, agregados, tocam-se em fila, vestidos como eu quero, a nua decide, faço-os partidários do H, masculino denuncia-se nos sapatos nas sandálias japonesas, Ehemann no exíguo, das traseiras à roda do Lunapark, tem animais, passeio higiénico por onde a história acrescentou outras construções embedidas no exíguo, ele embebido na água, filhas jogam com os vidros os copos pratos prateleiras, vidros quebram-se com o que lhe digo, fabriquei-lhe duas filhas, dei origem ao estridente dos vidros partidos pelas filhas de chita, faço strip-tease à janela, genitor repete as frases, desenvolvo-lhe a gramática, estuda o que eu digo, desenvolvo a encenação, ele não me forma não forma ninguém, filhas formadas pelos meus órgãos, é o instituidor das filhas, garante a Gartenstadt, fora com os que não servem o regional, grupos nocturnos protegem os habitantes, policiamento da Gartenstadt, festas a favor do H que visita o reformado metido no mental Gartenstadt, habitantes propõem comunidade, exprimem o geográfico das sandálias japonesas, do fato de banho da toalha ao ombro sobre a relva do Ehemann, suam o sanguineo, 

antes uma só com o genitor, agora duas mais, habitantes da Gartenstadt, político H em visita, vidros aparelhos utensílios para a bricolage envolvem-me no exíguo, filhas actuam, cantam Jennifer Lopez Gloria Estefan, aplaudo-as, exprimo o exíguo, Ehemann aplaude as junge Mädchen, manifesto o sensível que acompanha as roupas, moda espiritualiza-as, Ehemann di-lo aos habitantes, a pele bronzeada dos que habitam os exíguos, formados pela Gartenstadt, contactos atropelos entre os habitantes, fazem ginástica sobre a relva, habitantes passeiam cães novas armas, demonstram ao H, promotor dos cães novas armas, devem armar-se, dever implica consciência, não desperdiçam a água, usam dela nas piscinas, na lavagem dos automóveis, regalias dos cidadãos conscientes que têm cães, armas de ataque no exíguo, não os esterilizam, veterinários de acordo com a manutenção dos cães de ataque/arma nova, Gartenstadt promove mercado aos domingos, saída higiénica com as filhas nos carros para crianças, com os cães, evolução dos materiais, carros para crianças protegem o infantil, Gartenstadt protege os que crescem nos limites, a feira incluída, protegidos pela arma cão, genitores comem vestem-se, brinquedos representam-nos, território favorece a limpeza, limpam o terreno dos que obedecem, terreno despeja, horizonte fornece distância do jardim ao Lunapark, organizam as piscinas, cultivam os jardins, jardinagem acalma-as, natureza acalma o genitor, ecologia no jardim na piscina, água mudada por semana, filtrada a precedente, cães na água, comanda-os, exercícios de endurecimento, comanda a zona exígua, é comandado pelo H, eu no wc, lingerie no chão, cu virado para o observador, penteio-me, vigilância do genitor, masculino controla-me, separa-me das filhas, ponho cremes enquanto ele bricola, as filhas multiplicam-se na Gartenstadt, duas desdobram-se numa série que se desloca, desfile propõe música militar, Unter dem Doppeladler – Tiroler Holtzhackerbuab’n, Wagner, política propõe critérios culturais, jogos electrónicos ciberespaços desportos actividades com os cães, manutenção militar, edifícios adequados ao que sentes, aos sapatos às roupas, vives na Gartenstadt a que obedeces, adequada ao saco para as compras, relação com as compras, interessaste o teu intestino às latas, produção de pão equilibrada, tens diarreia, a melhoria proposta pelo H que te visita, H tem sapatos diferentes dos teus, usas sandálias japonesas para a piscina, plástico entre os dedos, convidas o H para a piscina, camaradagem com o que te encheu os tubos escondidos, político H observa os costumes, esfrega-se com a toalha, aspiras a que te toque te olhe te ofereça serviços, H seduz, sou emblema dos edifícios semelhantes, estátua sobre coluna exprime progresso, exprimes progresso nas sandálias japonesas, descontracção, política muda-te os sapatos, nasce a política H que fabrica o masculino reformado, bricoleur instala o que nunca tiveste: materiais de plástico, a modernidade do urbano no jardim, os sons da feira nos ouvidos, filhas cantam em espanhol, cus ancas ventres de baquelite, Ehemann ocupa o urbano devastador, tem produtos a enfiar-me, feita ao excesso no exíguo, onde vais, do wc ao espelho à janela à sala ao jardim nas traseiras aos vizinhos que te pedem o idêntico, habitantes idênticos exprimem expressão conjunta, social tem força, o progresso enche-os, enche-me, idem o político H, não me falta nada, H segue os resultados íntimos do social, o que os habitantes têm dentro, o que são dentro, abre-os para melhor os servir, servir-se deles, serviços mútuos, adequados uns aos outros, H adequado à mulher a despir, habitantes recebem os instrumentos que lhes ocupam os cérebros, o espiritual que desejam, seres espirituais convivem com a natureza, do desporto às traseiras, ao exíguo da Gartenstadt, ao que o H propõe, quanto mais pequeno mais seguro, sou buraco estreito para o Ehemann, reforma protege o reformado, iluminado nos últimos anos da vida, foi filho da guerra, tem “memória Gartenstadt”, inspira-se no geográfico delimitado pelo H, organizador das deslocações urbanas, organizador de tudo, justiça disponível, tribunais hospitais serviços, defensor dos animais, não dos que caça, da eficiência da água do mar, das florestas, ecologia prende-o às maternidades, política de propaganda nas maternidades, onde começa a vida, diz o naturalista H, homem dos serviços à população, urbanismo acentua o valor dos carros para crianças, fecundidade premiada, não precisamos de mão de obra estrangeira, habitamos a cabeça do H, o centro mental dele, H na piscina, dois masculinos na piscina, palavra vem deles, a cabeça de fora, tempo aprazível, destino do grupo que progride, fecundo, prestam-se assistência, administração paga a fecundidade, nada oculto, político H exprime a clareza na piscina, fizeste o que te pediu, intensidade do H vem da Gartenstadt, limites impostos guardados pelos habitantes que ocupam a zona remodelada pela política H, cães crianças jardinagem, normal que se usem de cães/armas, que se defenda o que se respira, ecologistas locais passeiam nos bosques, o que se garante obriga-nos, instrumentos têm lógica, forçam-me à lógica do cão, cães nascem dos instrumentos, diz o H na piscina, repete o que disse, repito o que disse, repito no wc o que disseram na piscina, controladores vigiam o que faço, saliva sai das bocas, natural que se misture a saliva à água aquecida pelo solar, piscina empreendimento do bricoleur reformado, reformados trabalham no exíguo, encontram os habitantes do mesmo núcleo, bricoleur fundou núcleo, filhas imitadoras na piscina, destruidoras dele quando fora, o mundo não se vê daqui, disse o bricoleur, inconsciente do que as filhas fazem fora, desprotegidas dos cães, acções culturais exprimem-se no passeio higiénico dos cães, higiene do bricoleur antes de entrar na água, aquecido pelo solar, duche com a mangueira, com as filhas de chita, excitação passa pelas sandálias, pelos biquínis, filhas exprimem-se com ventres ancas cus de baquelite, ginástica e dança rítmica, construções renovam-se, da gare ao edifício hospitalar onde trabalham, enfermeiras, memórias gravam-se nas fotos, conhecem idades entranhas sevícias documentos temperaturas, massagens educam os músculos ao serviço do H, ao serviço dos que o representam, política organiza o que se forma no cérebro, materiais ajudam, capitais idem, hospitalar fornece-lhes idiotia, genitor atento aos habitantes do exíguo entre cerveja solar cães utensílios transmite-lhes o ecológico, conhece os argumentos da ecologia, transmite às filhas, aos habitantes conscientes os perigos que respiramos, Ehemann transporta colchão de praia bóia toalha sandálias entaladas nos dedos, dobra mal os joelhos, materiais disponíveis imitam a praia, cremes solares, miniaturas de barcos à vela de bóias das correntes marítimas da ondulação das mulheres, dos banhistas, crianças de balde, manutenção do cerebral de todos, bracejado iluminado pelos spots do jardim, equipamento que dispôs, protegeu, onde está o benefício do que governa a Gartenstadt, domina as mulheres nas zonas de domínio, baquelites alargam-nas, dão-lhes fecundidade, directores ensinam, H dirige transmite confiança aos que renovam que aplicam agitação, virulência, dá ordens, reformado armado com cães arma nova, graduado pelo exercício canino, perito, Ehemann recebe o político H, “Album für die Jugend”, opus 68, 

mulheres multiplicam-se, desfile para os olhos, alguém desfez o centro da Gartenstadt, acelerou o desgosto do funcionário da vigilância, controlador dos vestidos de chita das filhas, da mulher no wc, cu sem slip, transmite o que vê aos que o ouvem, o meu cu sem slip, descreve a posse nas escadas no patamar nas escadas no patamar, arrasta-me até à cama, posição do cão, arquitectura ao serviço do exíguo, do H, assobio enquanto o Ehemann me introduz nas escadas no patamar nas escadas no patamar, Ehemann ilumina-se, masculinos tomam a iniciativa quando as mulheres se apresentam, discursam se as mulheres os ouvem, mulheres dispostas, familiares à vista dos convidados do Ehemann, H apela à tradição, votado pelos apreciadores das barbecues, das carnes das filhas à disposição do H, dos convidados, decoração, descritas as filhas o meu cu as baquelites que nos aumentam as formas até ao estoiro sexual dos convidados, vieram-se todos, desfilam para nos verem os cus, Arsch Arsch, cul disse o Bataille, a melhor palavra a dizer a sentir, coisa para ver, disse o genitor, escultora construiu-me baquelites, expõe-nos com o genitor aos bocados, cortes feitos pelas filhas, acabam com o político H com os reformados produtores, mulheres tiveram motivo para cortá-lo, genitor despedaçado é pose, bocados inócuos atirados para o depósito, filhas sentem os líquidos que desarvoram, verbo heróico, o susto, obstáculo do que progride, alguém pensa por elas, exaustas não elaboram no terreno do genitor, dos genitores, um cortado, outros a cortar, raparigas inventam genitores a talhar, roupas acusam a vizinhança do genitor, produtos idem, político H idem, H exemplo para genitores, eleitorado feminino vota no político H, exemplo do que progride, nenhum esforço social, H eficaz esboça conclui sem esforço, política pratica-se sem esforço, cultural social criou o mental adaptado, publicidade construiu o resto, objectos formam o restante, cabeças formadas pelo cultural publicitário, pela produção, arquitectura ajuda, traçado urbano, disposição dos bairros, Gartenstadt onde o exíguo urbano é proposto, aplica o instintivo, o que está existe no comunitário, desenvolve-se nas Gartenstädte com cães, ataques aos estranhos desde a estação, habitantes manifestam nos estádios, não há memória de tal sucesso, H reproduz-se na Europa, visita os Ehemanns, ganha-lhes o mental, a cultura filosófica esclarece-os, eu no wc, cu sem slip, provam-te no wc, convidados do que abre o exíguo, mostra-me aos reformados, ao político H, sandálias não impedem a transpiração, maxilares detêm a carne depois de mordida, a carne grelhada nas barbecues, conservam o que se aprende com a política do H, triunfo da modéstia, salientam o que produziram, sem eles não teríamos projectos para os habitantes da Gartenstadt, formam o comum, vida comum no exíguo com cães armas compras nos grandes armazéns, filhas balançam-se masturbam-se, descobriram o buraco os mamilos o interior das coxas, uma delas enfia-se um cabo de ancinho, a outra a outra a outra explica-se ela própria com os tornozelos os dedos dos pés, zonas fogem ao olho do genitor, fogem da Gartenstadt, busca policial, funcionários procuram-nas, ajudados pelos habitantes, guiados pelo genitor, apelo na tv, estabelecem a geografia provável, fuga isola-as dos que as perderam da vista dos dedos dos apalpões da chita da piscina de plástico, do que os reformados produzem com o político H, o que lhes surge no cérebro é clarificação, música clássica classifica-os, amadores do cultural não estranham a produção dos CDs, máquinas lêem-nos, habitantes nasceram com o progresso sonoro favorável à música, partos sem dor acompanhados por música, acompanhamento intra-uterino, música acalma as nevroses, não me acalma no wc, o resto é magnetismo, forças da natureza, disse o genitor, uma das raparigas em fuga até que a encontrem inapetecível depois de o ter sido com a chita, feita de chita junto da piscina, Mädchen toca-se, que não se tocasse sem ela, história do olho do cu, o slip na mão, Mädchen capucho vermelho, os lábios vermelhos, não te masturbes sem mim, excita-se fora do exíguo, Mädchen escapa ao genitor, imita-me, cremes massagens nas ancas, partes sensíveis alimentam-se, abre a baquelite, forma-se um líquido, desfazem-se fora da Gartenstadt, geografia deforma-se nas agências de viagens, fuga condicionada pelo social, quanto dinheiro tens, têm, quem te aceita fora da Gartenstadt, esfrega os cremes, massagens, não o faças sem mim, geografia abre-se sem o genitor, recuperam o geográfico fora do exíguo das Gartenstädte, geográfico abre-se nos hotéis, quarto de duas camas, dormes com os que não identificas, gente da geografia propõe o que se descobre sem roupa, Mädchen scanneriza-se, atinge-se na cabeça, orienta-se, cobre-se descobre-se, muda de continente sem mim sem piscina sem genitor sem o H reconhecido, reconhece os visitantes do genitor, o centro dele na piscina, H recompensa os que o idolatram, ajudam na campanha contra os estrangeiros, genitor ajuda, genitores ajudam a política H, pedem-lhe maior clareza, H clarifica o social, habitantes definem sem custo os filhos as filhas as Mütter a escolaridade os ocupadores emigrantes, Raus! tradição e fecundação dá direito de posse ao genitor, vocabulário idem, expressões artísticas idem, H propõe o cultural das Gartenstädte, genitor não conhece outra, constrói a piscina de plástico, compra a chita para as saias, pedem-lhe matéria para os produtos necessários ao social, patins esquis bicicletas computadores, objectos pessoais estão no exíguo à tua espera, alguém chama o genitor, 

idade desfez-se, o que resta é memória inerte, vou da sala ao wc, as nádegas nuas, protesto assimilou a política do H, cremes massagens comodidade do exíguo escolhido com as cores que me interessam, o que resta não é memória nem consequência do que me descobres, genitor não abriu nada, depositou semente, desapareceu pelas traseiras do exíguo, não se serviu da toalha depois do que fez do que fez do que fez, exíguo facilitou o que fez, masculino vem do exíguo, constitui os móveis as correntes as colecções, faz colecção de cromos de futebolistas, caderneta, cola os cromos, dominado pela frase feita, pela legenda dos cromos, infantil na política do exíguo, do jardim, íntimos reúnem-se nas manifestações desportivas, desporto ajuda as relações entre paredes tecto soalho, exíguo onde cresce a política H que inclui nível de compras cabeleireiro maternidade fecundidade, prémios às mais fecundas, Ehemann tem gosto, desgosta-se quando não tem utensílios a acrescentar aos que já tem na cave, escolhe cores para as paredes, faz obras no exíguo, eu apertada pelo que crio para mim própria, Ehemann assimila a baquelite, masculinos vestem-me despem-me, consequência do que melhora na Gartenstadt, deformo-me, identifico-me ao fabricante mais poderoso, poder no ventre que se abre à técnica, matéria deposita-se em mim, fizeste duas filhas, construíste piscina de plástico, o H dentro, Ehemann tem as banhas na água, cabeça de fora, não é batráquio, alguém fixa o que se desfaz, Ehemann desfaz-se pelos ombros marcados pelos quilos que suportou, pela qualidade dos produtos que consumiu, etiquetas são provas da política do H, regime de qualidade, vida melhora, a que os cidadãos preparam desde o nascimento com a música que nasce deles, social fez o musical que se forma nos Lunaparks nos conservatórios nas academias, artes confirmam a política do H, Ehemann escreve autobiografia, inapto, forçam-no à escrita, formam nos conservatórios os que decidem da música que serve o sensível a seriedade a sinceridade do H, os três sss do H, Ehemann escreve as memórias, confessa-se, chama as filhas para a confissão, apetência da escrita desde o nascimento, escrita ao serviço do social H, Ehemann exposto aos sons das palavras, à poesia, cita autores, que se faça uma escolha, instrumentos formam-lhe o espírito diante da roda do Lunapark, para que serve tanta arte, disse o político H, é preciso escolher, nem tudo é bom nem toda é necessária, liquidem os Entarteten, outros disseram o mesmo, constroem piscinas de plástico, H propõe alargamento do político aos que se assemelham, geografia abre-se aos semelhantes, não se abre a estranhos, espécie rara territorial trabalha para a autodefesa, revêem o que foi vivido por outros, a história revista, a crítica da história denunciada pelos que a revêem, regressam modelos do passado, estejam tranquilos que, escreve, os métodos provados estabelecem a língua da administração, a que nos leva à vantagem da disciplina, disciplinados no ataque aos emigrantes, aos que perturbam o exíguo, as filhas perturbadas, íntimo transporta-nos às filosofias propícias ao ser qualificado, dá-se o aberto histórico do ser adequado ao geográfico que aspiramos, técnicos especializados preparam o futuro sem as deficiências da natureza, a técnica dominada pelo político H para servir a masculinidade social, escreve, como se exprime a masculinidade no exíguo, acção masculina marca o geográfico bricola a casa de banho a piscina o cu sem slip, reforço-lhe o sexual, onde estiver o genitor está o político H, genitor igual ao H reproduz atenção amabilidade conhecimento finesse cultura da tradição, não há perigo, H propõe política sem perigo, aceitam-lhe as ideias, tem ideias que colam aos objectos, onde estão as ideias está o H, um aglomerado de qualidades políticas e humanas, escreve o que te dito, nenhuma reticência sobre o político H, descreve a geografia que o viu nascer, datas comemoram-se, nascimento festeja-se, ano do nascimento do político festejado pelo genitor pelas filhas obrigadas por mim, por outros, filhas multiplicam-se segundo o plano de apoio à nascença na zona geográfica que permite futuro assegurado, H propõe o que os habitantes pedem no exíguo, coincidência, exíguos protegidos, o exíguo protegido, aparelho exíguo planifica a fecundação das Mütter, ventres piscinas, genitor estende-se conforta-se bronzeia-se sobre o Ersatz de relva, corta rega arranca o que lhe estraga o relvado, reformados resumem a matéria histórica que os associa, os mais convictos reúnem-se nos exíguos, nas piscinas, futuro prepara-se com a cultura presente, futuro visível, 

político H cata-vento, actor de feira, de quermesse, de negócios contratos assinaturas, cidadão investe na literatura-quermesse que o satisfaz, político H é amador de música, caricatura da comunidade, propõe o que os habitantes pedem, pede o que os habitantes formam, agentes pedem violência, social tem música tradição cozinha habitação, propõe a eternidade, nasce-se, Mütter recebem favores, homenagem às Mütter, masculinos nas piscinas carnes na barbecue afirmam o político H, decisões tomadas, nenhuma hesitação dos que escrevem, escritores apoiam-no, segurança exprime o regional, escritores assumem a região, acrescentam à região o que fazem dela, H conhece a escrita dos que apoiam a nacionalidade da língua, escrevem a língua que permite a coexistência entre os habitantes, a memória reconhecida, H ajuda as artes, escrita representa o futuro regional, comentários nos jornais sobre o que se propõe na região, filmes na tv sobre os habitantes abertos à opinião, discutem as fronteiras com o leste, H protege a memória dos habitantes, literatura investe no H personagem histórico, biografia fabrica-se com a força intelectual com a formação técnica do H, social forma os habitantes que defendem o geográfico, programa consiste na defesa das Gartenstädte, assistência às Mütter que aumentam a natalidade, a todos os que se esforçam na limpeza regional, projectos conservam-se, comunidades resolvem, actuam com a tradição, são exemplares, político H protege-as, convidado do bricoleur define o social, decide o que lhe pertence, H entusiasma os habitantes, compra terrenos, tem direito à riqueza demonstrativa dos habitantes leaders, social projecta a expulsão dos que estão a mais, dos que prejudicam os habitantes, exíguos marcam-lhes os membros os objectos os olhos, habitantes absorvem os exíguos pelos olhos até mudarem as próprias formas, exíguos determinam quem decide quem obedece, masculino militar à mesa emite ordens em código, braços afirmam com o tremer dos músculos da gordura junto dos sovacos, zona peluda transpira, homens comandam, referem-se aos locais onde os chefes habitam, a segurança do H garantida pela ecologia da floresta pelo que respira, o saudável estampa-se nas feições do H, do genitor agente do H, eu fora da Gartenstadt, expulsa, ninguém me ouve vê, inventam-me um lugar onde me decorticam, me abrem, brilhantes à vista, talhada, talhados os brilhantes, aberta onde me apanham os brilhantes, deslocam-me, repetem silenciosos, transmito autismo às filhas, imponho-o como condição da percepção do lugar, do que ouvem, não obedecem aos braços do genitor que as despe veste, dizes para ti o contrário do que ouves, não te controlam as frequências do que te agride, não dás sinais exteriores não tens sinais exteriores não tens exterior, o interno obscuro, visível aberta morta irresoluta confirmas os masculinos na piscina, o H na água é um afogado, és prótese com força tenaz para os convidados, tens relações de combate, região defendida pelas milícias armadas, cães são arma nova, veterinários protegem os cães arma-nova, caçadeiras oleadas, habitantes constituem centros familiares, objectos subordinam os membros, bricolage concentra-os, habitantes choram as mesmas tragédias, sofrem com o que vêem na tv, sofrer é termo social-tv, submarino nuclear a 108m de profundidade, cérebro manifesta-te sinais que transmites às lágrimas, ser exprime o social pelo choro, esperam-se milagres, relatos inspiram-te o social que vives com a música que ajuda o H a preparar o futuro, outros políticos Hs apoiam-no, habitantes levam-nos ao triunfo social, Hs ocupam os terrenos que compraram, ajudados pela população, riqueza garantia de que somos iguais, pensamos o uniforme, a marcha única, a forma social única a que aspiramos, ao controlo do ozono, ao sublime, jornalistas das tvs aplicam o sublime, têm actividade responsável, filme sobre a actualidade regional, política H exprime-se nos habitantes que defendem o humano, são humanos os habitantes dos jardins, o urbano em flor nas Gartenstädte, humanos recebem recompensas, música clássica implica intensidade da alma, espiritualização, político H apoia a língua que não repercute acidentes, língua milagre serve os habitantes, aplicam-na, lêem jornais que os defendem, escritores defendem a língua do H, repercuto o masculino às filhas, sou acidente silencioso, cu visto pelos convidados, pelo genitor obreiro, funcionário reformado autor das filhas cópias dele, autor do cu sem slip, faz-me envólucro a despir a vestir com ancas cu mamos de baquelite, prestígio melhora-o, espectáculo divide-se em dois, um da janela para o exterior, exibo-me para os de fora, outro para os frequentadores da piscina, depois da gesticulação natatória, desportistas bebem cocktails usam do cu de baquelite sem slip, visibilidade aumenta com os cocktails, vista sobre o urbano, agitação segurança do corpo policial, telhados em boas condições, coreografia dos movimentos urbanos depende da segurança dos sacos de compras das garagens dos jardins, os órgãos usam-se, timbre gutural levanta-lhes os braços, investem o exíguo que te transforma em animal para a festa, ignomínia não está neles, antes pureza nas manhãs de domingo, paradas, cerimónias dos que dominam, habitantes da região evocam os artistas a desenterrar da região, Ingeborg B. não é chamada à cerimónia, Robert M. de fora, não há história sem o glorioso dos que fizeram o esforço para garantir a região, antepassados recentes fazedores do glorioso que não se esquece, que se lembrem dos mais aptos, habitamos os locais que construímos para a tranquilidade dos habitantes, igreja protege-nos desporto ajuda-nos desfiles alimentam a espiritualização dos participantes, maior participação feminina, mulheres colaboram na linguagem do exíguo, algumas provam o H na piscina, política exprime-se no território regional que vai do exíguo onde bato com a cabeça nas paredes ao terreno do Lunapark, conservam a propriedade de todos, estão todos nos cafés, bebem o que devem, provam o que devem, demonstram o que são aos domingos nas manifestações contra os que nos invadem, invadidos mordem, cães completam-lhes as deficiências da defesa, 

fuga, és um caso, figura sem código exprime-se para si, fora dos outros, diz isto, a expressão diminuída da que pressentiu as sandálias japonesas, o rigor do lugar que engloba os habitantes, intenção dos particulares conta, habitam o regional, frequentam mercados de flores com cães e filhos, artigos para os habitantes locais, frango, choucroute, objectos-habitantes representam as Gartenstädte, distribuem os bens que exprimem o que não dizem, não falo, distraída com a visita do H que garante a Europa, absolvido pelos eruditos que o tratam tal como o país a região as Gartenstädte as comunidades folclóricas, renasce o folclore H, os cães armas dos habitantes que se dedicam à limpeza das florestas, bens nacionais, finalidade nacional dos habitantes regionais, conhecem os cânticos do que procuram nas florestas, natureza espelha-os, político H tranquiliza a Europa, convidado pelo bricoleur, bricoleurs fazem a Europa, compõem exíguos jardins piscinas filhas clubes de franco-atiradores, eu de fora, puseram-me fora, represento fora o que fui, cu e buraco por onde saíram as filhas do bricoleur, dei carnes à luz, a luz no exíguo, na piscina durante a noite, luz solar sobre o bricoleur reformado, ao sol sobre o colchão, cervejas óculos escuros, terreno vai do jardim ao Lunapark, o que falo refugia-se no palato, travão das frases, abro os olhos, os ouvidos fecham-se, abrem-se outros estreitos, toco-os com os dedos, enfio-lhes objectos duros, ajudo com cremes, iluminada pela produção do luminoso, sou personagem sem discussão, favoreço os limites da Gartenstadt, saias servem-me, não as uso, feitas por mim, produzo o inútil, silêncio representa-se à janela, espectadores pagaram para isso, procuram as zonas pelosas, olhares executam-me, aspiram-me iluminada num lugar junto do fogão, a galinha nas mãos, ainda viva, depois depenada, vêem-me numa cama, lugares estreitos onde não me oculto, não digo o que nasce de mim, lugar tem geografia, estou ausente, saia na cadeira marca a ausente, exterior domina-me, alguém me dirige o discurso, fala por mim, reservo-me aos que me olham, disse o bricoleur, preso ao vocabulário, história encheu-me as partes estanques, dividida em duas: uma para o convidado H, outra bebe depois do banho na piscina, relação com o político H na piscina, genitor agradece-lhe a visita, H garante a manutenção da Gartenstadt, construções novas acrescentam-se às que existem, seguem a revisão da história, a renovação dos que fizeram o esforço, formaram Heimat, noção apaziguadora, explica o H, explicações rigorosas, iluminação projecta-o no futuro, político H projecta-se, não aceita os que aproveitam a cultura sem Esforço, pertence ao Esforço, tem actividade em cena, na piscina, no seu exíguo, entrevistado no íntimo, genitor bricoleur apaga-se diante do H que tem continuidade histórica, rejeita o leste, H feito pela universidade pelo económico pelos habitantes jornais tv educação história, preso à memória dos antepassados colaboradores, costumes confirmam a razão das Gartenstädte, a melhor configuração humana, a produção infantil adequada, filha em fuga exibe-se fora deles, 

sem geografia, terreno não significa, diz isto, adequas-te ao que quiserem, preparas-te ao resultado silencioso, aplicas as normas, reduzes a idade, distraída da iluminação, das filhas, despes-te lavas-te, não na piscina feita para o genitor filhas H e convidados, as filhas de fora, fora, filhas fora dele, enfiam-no aniquilam-no, medo dos tumultos, da distância da piscina ao Lunapark, protegidas pelos mercados onde se afirma a segurança dos cães arma nova, genitor ocupa o jardim a relva, plantou árvores, plantou como quis, começou em mim, plantou-se na Mutter das raparigas, cultivou-a, relato da limpeza das filhas, disponíveis, actividades viagens visitas dos parentes, ociosidade paleio sobre o regional, a condição dos habitantes a alimentação das filhas, a reprodução a partir delas, a continuidade da espécie H, o crescimento dos rebentos, a história deles simplifica a das Mütter, genitores trabalham para as filhas, para os políticos Hs que renascem na Europa, uma carta sem perigos, protecção do europeu regional, genitor é regional H, Mütter falam dos queijos carnes escolas leites alimentação perigos, do regional puro, exige-se o biológico, o instintivo ligado ao prazer do que se ensaliva, do deglutir o regional que se saboreia, digestão facilitada pela pureza dos alimentos, o resto que continue com piscinas, Ersatz de relva, carnívoros têm alergias causadas pelo sol pelas carnes pelos exíguos, doenças explicam-se pelos terrenos, genitores nos terrenos adequados temem a doença das que estão fora, Mutter de fora, as filhas fora, abatidas a tiro pelos caçadores durante a busca com os cães, caçadores cobrem os terrenos de que são senhores, as filhas em fuga, Mutter confirma, apanhadas pelos franco-atiradores que as percutiram, alvos de feira, filhas/alvos atingidas pelos franco-atiradores que abatem o que vive, caçadores adaptam-se a cada zona, feiras fazem deles massas, participam da massa, botas camuflados peças de caça penduradas à cintura, realismo equivale à nevrose do real, nevrose canaliza-os ao tiro aos campos de treino às milícias, ao exercício militar, iluminados pelas costas escondem as caras, identificação vaga, são massa vaga, enchem as construções que lhes atribuíram, social distribui os exíguos os jardins a ocupar as propriedades a adquirir com a função social, não só dirigentes beneficiam, empregados agentes funcionários recebem abonos, filhas são resultado económico, vantagem para caçadores, alvos de feira, perseguidas pelos que garantem que fugas não existem, acabaram nas fossas fora dos limites da Gartenstadt, quem escapa não recupera o que perdeu, social elimina, elogia os caçadores, nocturno oferece a floresta, as árvores os riachos, a protecção da natureza, efeito nas gerações futuras, obedientes ao progresso protegem-se das perturbações sonoras, agentes pedem aumento da produção, abrem os cérebros captam objectos novos, fazem inventário do sucesso das fabricações, do aumento do desejo, produção enfia-se nos cérebros, castiga os que não possuem, posse é zona cerebral melhorada que castiga os que não possuem filhas Mutter piscina de plástico sandálias japonesas cremes comida biológica, instrumentos torturam abatem, analisam o lugar, permitem, permissivos, opõem-se, fraseado regulariza-se, adapta-se ao esforço, aprovado pelos habitantes, genitor declara os habitantes disciplinados, pensam como ele, fala por ele, defendem o mesmo defendo o mesmo defende-se o mesmo, instalam o que produz controlo, fios electrificados cercam o jardim, protecção contra ataques à mão armada, gatos são alvos, cães defendem os habitantes seguidores do H, da política que me implica na Gartenstadt, no jardim, na piscina para os convidados da barbecue, verão trovoadas, clima nórdico, desço ao sul de motor-home com os cães as filhas, por último a Mutter depois dos objectos, Mutter objecto a desfazer, desfeito, fez as filhas classificou os objectos, envergonhou-me do que fez, emagreceu sem idade, não tem idade, não trabalha, estou no jardim na piscina depois de 35 anos de trabalho, fiz os utensílios que as fecham, que controlam a política adequada ao terreno onde ponho os pés, voluntário iluminado, elemento do sucesso, do que esperam de mim, sei quem nos governa as crises, regional em crise até que aceitem o H, os que vierem com ele, H cria outros, poder de convicção, H enfurece quando não o ouvem, ninguém me ouve, onde estão os habitantes razoáveis, 

escolhem-me, tv colabora, crio desfaço escondo, assisto os que me são frequentes, que me pedem o que defendo, boomerang, defensor da natureza que represente o cultural, paisagem é cultura, ouve-me, não interessa o diálogo, actores não me representam, o que sou escapa à representação na cena iluminada, conheço-me, matéria difunde-se, não me representam, o que sai de mim dirige-se a mim próprio, aos que me protegem, me criam igual, aos que crescem nas regiões protegidas, natureza defende-se com cães-armas com a cultura dos jardins com as sandálias japonesas, planto o artificial no exíguo, escolho a protecção do H posto em causa, sou matéria decifrável, aprecio o futuro, sou futuro sem nome, sem contacto com as filhas com a Mutter, dentro d’água, sou utensílio, limpo o florestal, procuro o ecológico o biológico, que os políticos façam como o H, protecção biológica das maternidades, estou no centro iluminado com as filhas-para caça, a Mutter iluminada pelos spots, quadros nas paredes, decoração, tenho decoro, decoro a piscina, afasto os perigos, tenho convicções, penso no H, no que sou, tenho medo da água, piscina não é mar, tormentos de criança, fui criança igual às filhas, bonecas filhas reproduzem-me, futuro dirá o que se passa entre os habitantes e a paisagem, o eterno nas paisagens, rios a limpar, aqui os excessos, fora do regional há carências, Caríntia é o ponto, carências dos que estão fora formam o equilíbrio do mundo, fronteiras limpas dos inumanos levados às fronteiras protectoras do idílico, exíguos são o rústico, mobílias regionais, camas para repouso, horas livres, Hs inserem-se nas culturas que representam o desenvolvimento a cultura espelho da riqueza, mimetismo da cultura, subsídios atribuem-se ao cultural que defina os habitantes nas piscinas de plástico, cultura garante-me energia realidade, casas de correcção para os que estoiram com o progresso, conduzo a política contra os que não defendem as fronteiras, habitantes xenófobos têm chefes, disciplina, disciplinados, tv disciplina, disciplinados pelo que lhes ensinam, me ensina, autodefesa, contra a indisciplina, Mutter fala no wc contra o palato de si própria, não a ouvem, fala de si própria, tem aparelhos de escuta, convidados vêem-lhe o cu nu, sufoca, sufoco, inoportuno, doença prepara-me a deficiência, paro na praça num café, nome fluorescente, néon dá carácter à fachada, à praça, uniformes regionais, franco-atiradores polícia do H, a força no tórax, pressão aumenta, vem do exíguo que limpei, paisagem iluminada, esquecida a história que me denuncia, cardíaco atinge-me, 


toca-te no tornozelo, pinça-te a pele, marca-te, consciente, trabalho interno esconde-se com a pele, nervoso ocupa-te até seres tu própria, abanas tremes gaguejas no hotel onde te percorres com o que te toca, estás num quarto, nos corredores nos quartos, som avoluma-se, quartos produzem sons, produzem-me interna sem fala, sujeita às fotos, ao que me amplifica, um gasoso atómico, cogumelo Nagasaki “fat boy”, alucinação perde-se no intensificado pelo nervo, dobra a distância às paredes, multiplica-se a distância sem a vista, metida num recinto, olhos fechados, o que vi está inventariado, wc à direita da porta, móveis matérias, sou feita de matéria que se dilata com o calor, alargas com o que comes, combustão, respiras para os sacos do tórax, um saco para as compras, benefícios do supermercado, olho as matérias, o progresso que me exprime, anomalias do cérebro que não leio, inverto as letras dos jornais, formo-me com o que a Comuna me diz, sou várias, uma exibida, exibicionista copia actrizes, faço-me cópia, multiplico-me, refugio-me do que trata das filhas na borda da piscina, rega-as com a mangueira, integro-me à finalidade social, jogos viagens barbecues vestidos piscina para o bricoleur que construiu o exíguo, apropria-se do exíguo, bricolage do psíquico enriquece-o, escolas enriquecem as filhas, promessas de emprego, clubes onde registam a consciência política, H trata da publicidade, filhas promessas assentam no gosto comum, na identificação comum, resistem ao que se separa delas, separas-te à janela, exibição pára-te, ineficaz, infantilismo forma-se dentro, felicitam-te, termo implica conveniência, lentidão câmara lenta, Mutter uma vez uma segunda vez, fábrica do genitor pronto ao social que enriqueci com o que criei, o que fiz inscreveu-se na política H, estou fora do H, improdutiva, o bricoleur ao serviço dos Hs que se espalham pelas geografias, dão-me geografia, exibo os tornozelos, as partes não ósseas, a carne inunda os mercados, exibo-me ineficaz inerte inútil, à venda, vendada, filhas condicionam-me às compras à piscina, preparo-me para os que se agitam, nadam, preparo cortinas vestidos toalhas, objectos assseguram a piscina, Hs engordam, regime do genitor é ser bóia, flutuador, resistir ao arrefecimento, ser bóia de borracha, apoiado na borracha pneu, no plástico, matérias que o regional do bricoleur produz, produtos são projecto avançado, bricoleur tem subjectividade, garante-a com o temperamento o orgulho a vontade a filosofia da piscina, bricolage forma a subjectividade do exíguo, reforma implica o exíguo onde conta as gotas de sangue que lhe extraem, corrente sanguínea estoira, é propriedade subjectiva tem direito ao subjectivo, que ninguém lhe retire o que o forma, pessoa subjectiva defendida pelos direitos do grupo, subjectividade engloba-o nos outros, direito à subjectividade da piscina, filhas e piscina conservam-lhe o subjectivo, direito ao gosto, apreciador da alimentação regional de tv do solar sobre a relva, rega a relva rega a relva, rega-se inunda-se rega as filhas no terreno-campismo entre o jardim e o Lunapark, é pneu, pneuma saco, terreno para campismo, regime da Gartenstadt, filhas têm direito à catástrofe, usa delas na piscina, vocabulário adquire-se, homens projectam o vocabulário, defesa das filhas coincide com a dele, reformado exige que lhe forme a subjectividade a ociosidade o sono a sesta, períodos do dia, de noite forma um muro diante da tv, eu sem sinal, Signal é dentifrício, revista de guerra, nazismo dá sinais sociais na piscina, sinais do H, da política do jardim, deitado sobre o colchão de praia, horizonte vai do exíguo à feira, carrosséis, sente tonturas, inebriação, 

cabeça pesa fora da água, reformado desinvolto agitado fora da água, a parte superior, a que filosofa fora da água, reformado bóia, cabeça bóia, é peso, tudo é peso, braços afirmam exuberância, afectos, cabeça tem afectividade, actividade com o sensível que lhe brinca, brinquedo jogo corte da relva banho, estação propícia ao banho na piscina, terreno vai do exíguo à roda do Lunapark, campo morto onde não houve muro, nenhum muro, muro da Gartenstadt, defesa local, regional defende-se com a política H, organiza-se o que fazem os habitantes da Gartenstadt, pensam nas piscinas na relva, sandálias japonesas definem a moral, habitantes seguem a evolução do ozono, do sexo das filhas, do que segregam, quanto segregam, análise com o dedo, meto-lhes o dedo no órgão secretor, inventário do que os enche, cobertos de pele até ao eixo masculino que se descarapuça, Mütter não contam, acções masculinas são bricolage com os dedos com os pénis, como se chamam os pendentes, caralhos inorgânicos, compost caralho, homem activo prende-se ao essencial social, produz vedações, produtores de terrenos protegidos, enchidos de música, Gartenstadt activa, Ehemann afogado sem estremecimento, filhas preparadas para o que as agita, tecidos peles órgãos preparados para o afogamento do Ehemann, trabalhador bricoleur dos lugares onde se estende se expõe, agride, a piscina um lugar de agressão, outro o terreno vago do jardim ao Lunapark, exigente arruma limpa, ninguém trabalha como ele, mostra-o às filhas, Mutter apresentou-as autónomas feitas por ele, autonomia das filhas desgosta-o, perde a cabeça, piscina monta-se, exigente, filhas obedecem-lhe, filhas molhadas pela obediência, social propõe as filhas aos que têm direito, estranhos apropriam-se sem direito sanguíneo, genitor e político H são a origem sanguínea do terreno, deitam sangue para o terreno, fontes sanguíneas a regar a relva os terrenos de cultivo, capacidade mede-se em litros, bricoleur confirma-se nas filhas, organiza o urbano, acabou o rústico, à volta da piscina dos campos das culturas da natureza da filosofia social, pertence aos que têm social filosófico autêntico, é ser social peça do jogo que a piscina lhe favorece, provado nas filhas sem sangue, fibras novas, sangue faz parte do sanguíneo, consanguinidade, genitor não transmitiu sangue, as mãos no membro que ejacula o branco, ejaculação é lixívia social, continuidade biológica assegurada, descendência marca a política H, continuidade constitui-se por dia, resoluções penetram as Mütter as filhas os reformados inscritos no partido do H, reformados seguem o rural das montanhas, tempo disponível, rural nos parques de recreio, agitação fornecida pelo H, cabeça comércio publicidade, dispo-me, sou Mutter, cortam-me abrem-me fora da piscina, descobrem-me brilhantes entre as carnes, tecidos contêm brilhantes, abrem-me apanham-me o que cresce dentro, único sinal nos veios verdes que marcam a córnea, bricoleur bóia na piscina, a cabeça única parte visível, peixe bricoleur preso no anzol, cadáver bóia,

Aucun commentaire: